Oficina do Saber

Compartilhando experiências & construindo conhecimentos

Redação do site EcoDesenvolvimento
planeta-ecod

Sabe quando o salário termina antes do final do mês e o trabalhador é obrigado a recorrer ao crédito? Talvez você desconheça, mas o planeta Terra conta com um índice semelhante, o qual revela quando a humanidade consome os recursos naturais capazes de serem renovados no período de um ano. A notícia ruim é que, para 2016, esse dia é esta segunda-feira, 8 de agosto. Em suma, precisamos de apenas oito meses para “entrar no vermelho”.

O cálculo foi feito pela Organização Não Governamental Global Footprint Network. A ONG lembra que esse momento tem chegado cada ano mais cedo. O dia 8 de agosto vai marcar, para a Terra, neste ano, o Earth Overshoot Day (Dia de Sobrecarga da Terra). A partir dessa data, “viveremos a crédito”, anunciou a organização em um comunicado conjunto com a ONG WWF.

As emissões de dióxido de carbono (CO2), o principal gás do efeito estufa, são o maior fator desse excesso, visto que representam “60% da nossa pegada ecológica global.

Para fazer o cálculo, a Global Footprint leva em conta a emissão de gases causadores do efeito estufa (GEE), os recursos consumidos pela pesca, pecuária e agricultura, assim como as construções e o uso de água. Em 2015, o Earth Overshoot Day foi em 13 de agosto. A data “avança inexoravelmente desde os anos 1970”, afirmam as ONGs. Naquele ano, esse dia chegou em 23 de dezembro.

Consumo excessivo

“Para satisfazer nossas necessidades, atualmente, precisamos do equivalente a 1,6 planeta” por ano, disseram ambas as organizações. “O custo desse consumo excessivo já é visível: escassez de água, desertificação, erosão do solo, queda da produtividade agrícola e das reservas de peixes, desmatamento, desaparecimento de espécies”, lista o comunicado.”Viver a crédito só pode ser provisório, porque a natureza não é uma jazida, da qual podemos extrair recursos indefinidamente”, afirmam.

As emissões de dióxido de carbono (CO2), o principal gás do efeito estufa, são o maior fator desse excesso, visto que representam “60% da nossa pegada ecológica global”, afirmam a WWF e a Global Footprint. Segundo o Relatório Anual sobre o Estado do Clima, um documento publicado na última semana, de cuja elaboração participaram 450 cientistas do mundo todo, as emissões de gases causadores do efeito estufa atingiram níveis recordes em 2015.

Em dezembro de 2015, líderes de mais de 190 países concordaram, durante a COP21, em Paris, estabelecer metas de redução dos GEE nas próximas décadas, a fim de evitar que a temperatura média global do planeta suba mais que 2ºC – nível considerado seguro pelos cientistas.

 

Comentários estão encerrados.