Oficina do Saber

Compartilhando experiências & construindo conhecimentos

Redação do Site Inovação Tecnológica –  31/08/2015

A grande vantagem do novo LED é que ele é construído por impressão, depositando-se os materiais como se fossem tintas. [Imagem: Junqiang Li et al. - 10.1002/adma.201502490]

A grande vantagem do novo LED é que ele é construído por impressão, depositando-se os materiais como se fossem tintas. [Imagem: Junqiang Li et al. – 10.1002/adma.201502490]

LED híbrido

Uma equipe da Universidade Estadual da Flórida (EUA) desenvolveu um novo LED altamente eficiente e de baixo custo que pode ajudar a estimular a adoção mais generalizada da tecnologia, que é muito eficiente, mas ainda muito cara.

“Ele pode potencialmente revolucionar a tecnologia de iluminação,” disse o professor Zhibin Yu. “O custo da iluminação por LEDs tem sido uma grande preocupação até agora. A economia de energia não é compensada pelos custos elevados. [Nosso novo LED] pode mudar isso.”

A equipe desenvolveu a nova tecnologia para a fabricação de diodos emissores de luz utilizando uma combinação de materiais orgânicos e inorgânicos, e cuja estrela principal é a perovskita, um material que pode ser célula solar ou LED, dependendo do projeto – ou seja, ela pode absorver ou emitir luz. Depois de misturado, o material híbrido é dissolvido, podendo ser aplicado como uma tinta, a exemplo da tradição na eletrônica orgânica, o que barateia muito o processo de fabricação.

Junção p-i-n

O novo LED é formado por uma película de perovskita e óxido de polietileno ensanduichada entre uma camada de óxido de índio-estanho (ITO) e índio-gálio.

A estrutura exige uma baixa tensão elétrica para emitir luz e apresenta alta luminosidade porque a estrutura forma uma homojunção p-i-n, o que significa a inserção de uma camada “intrínseca” (sem elementos dopantes) entre as camadas p (positiva) e n (negativa), que impede a fuga de elétrons, gerando uma corrente uniforme na camada i.

Os LEDs emitem luz nas cores azul, verde ou vermelha, o que permite sua utilização na fabricação de lâmpadas de iluminação comuns, emitindo luz branca. Mas o que torna a técnica realmente especial é que o processo de fabricação é muito mais simples do que o processo tradicional dos LEDs existentes no mercado – a maioria dos LEDs requer quatro ou cinco camadas de material, depositadas umas em cima das outras, enquanto o novo LED híbrido requer apenas uma camada do material completo já dissolvido.

Bibliografia:

Single-Layer Light-Emitting Diodes Using Organometal Halide Perovskite/Poly(ethylene oxide) Composite Thin Films
Junqiang Li, Sri Ganesh R. Bade, Xin Shan, Zhibin Yu
Advanced Materials
Vol.: Article first published online
DOI: 10.1002/adma.201502490

Comentários estão encerrados.