Oficina do Saber

Compartilhando experiências & construindo conhecimentos

link {http://site.adital.com.br/site/noticia.php?lang=PT&cod=79221&langref=PT&cat=}

Uma ferramenta virtual de monitoramento que visa pesquisar e coletar dados sobre as crianças e os adolescentes que vivem nas ruas de todo Brasil. Este é o resultado da ideia originária do ‘I Seminário Nacional da Campanha Nacional Criança Não é de Rua (CNER)’, realizado em Fortaleza, estado do Ceará no Nordeste do Brasil, em agosto de 2010 e que agora se concretiza na Plataforma Digital Rua Brasil S/N (2013/2014).

De acordo com o manual da plataforma, a população de rua infanto-juvenil é transitória e inacessível. “Transitória, porque nômade, ora está em casa, ora acolhida, ora na rua o que torna qualquer pesquisa desatualizada logo após sua publicação. Inacessível, porque constantemente sob o uso de drogas, ou isolada em locais que põe em risco a segurança de um pesquisador desavisado, torna sua abordagem, ora inconstante para quem fala, ora insipiente para quem ouve”, dita o documento.

No caso da pesquisa feita por meio dessa ferramenta de observação, o educador social ou o pesquisador responsável é eleito para buscar informações atualizadas e reais, tendo uma proximidadeprivilegiada com as crianças e adolescentes das ruas. O objetivo dessa ação é fazer com que esta testemunha ocular da situação de rua saia do seu papel de interventor e busque a imparcialidade científica de um pesquisador.

“É uma dupla tarefa, distinta em seu fazer e em seu objetivo. Ciente deste desafio, a CNER propõe uma intensa aproximação com estes atores, sensibilizando-os a serem esta presença diferenciada no conteúdo investigativo em sua abordagem educativa e cuidadora”, ressalta o texto do manual.

A missão de coleta de dados depende dos parceiros da CNER. Quanto maior for a quantidade de usuários coletando dados, maior será o resultado da pesquisa, uma vez que, no final do processo, os números coletados poderão ser dimensionados e revelarão um censo de dimensão nacional.

“O recorte, como sabemos, restringe-se às 26 capitais brasileiras + o Distrito Federal. Nossas limitações de recursos humanos e financeiros não nos permitiram chegar às demais grandes cidades do Brasil onde este fenômeno é conhecido. Porém, essa constatação não diminui sua grandeza. O Núcleo de Ideias & Gestão que estabelece os padrões da Plataforma e seu uso, pretende realizar uma intensa divulgação da Plataforma e atrair o maior número de adeptos. Mas não poderá utilizar a ferramenta de maneira indiscriminada e irresponsável. Não queremos números, queremos respostas! Se os números obscurecerem estas respostas, não teremos nada”, complementa o texto do documento.

Comentários estão encerrados.